4 de ago de 2011

Review: Circus Charlie


Na década de 80 a maioria dos bons jogos desenvolvidos para Arcades e mais tarde adaptados para Nintendo/Famicom vieram da Konami, e entre eles o Circus Charlie. O jogo foi lançado em 1984 para Arcade e para o computador pessoal MSX. Porém, somente em 1986 o game foi portado para NES, e lógico que como resultado em pouco tempo se tornou febre entre os gamemaníacos da época.

Plataforma: Arcade & MSX
Gênero: RPG
Ano: 1996
Produtora: Nintendo


HISTÓRIA
Charlie é dono de um circo e pelo que parece ele é a única pessoa que trabalha ali. Para seu circo ser porreta de mais de bom da conta, titio Charlie faz de tudo (mas nem tudo o que você imagina) para agradar seu público, no entanto ele não pode falhar, afinal o show não pode parar!

JOGO
Circus Charlie é dividido num total de 6 fases que seguem um certo padrão num fase scroll em que Charlie deve seguir, passar pelos obstáculos até o fim da fase, completando assim o número.

Na primeira fase o jogador vai em cima de um leão e deve pular alguns círculos de fogo; Na segunda Charlie anda sobre uma corda bamba e precisa pular por cima de alguns malditos macacos que vão aparecendo, até mesmo um macaco roxo (azul nas versões de NES/Famicom) da as caras quando o jogador está muito 'like a boss'. Na terceira fase o palhaço pimpão aí vai saltando de trampolim em trampolim até chegar ao final da fase, mas como nada pode ser fácil, algum fdp fica jogando umas facas e outro ateando fogo.


Assim como a segunda, a quarta fase também é uma fase de equilíbrio, porém Charlie que mostra que é o rei das tapiocas decide ficar andando sobre uma bola igual a do Kiko, até encontra outra bola do Kiko e e salta sobre ela até chega o fim da fase. Na quinta fase o Charlie fica em pé sobre um pangaré e pulando sobre os trampolins que aparecem durante o percurso; E na sexta - e última fase - é a vez do clássico número de circo do trapézio. No jogo você usa apenas o direcional e mais um botão para se movimentar e pular. Mesmo com toda essa limitação, o jogo não deixa de ser divertido. Nos dias de hoje, o jogo não impressiona ninguém pela sua dificuldade, mas na época em que foi lançado, era relativamente difícil, principalmente a fase das cordas. Para recompensar todo esforço no final da última fase Charlie é recebido pela sua cocota com umas bitoquinhas.

Versões do Commodore 64, Famicom/Nintendo e MSX, respectivamente.

CURIOSIDADES
- É possível saber quantos metros faltam para passar de fase através de uma marca no chão.
- Além das seis fases ainda existe uma fase bônus.
- Na versão para Nintendo/Famicom não tem a a fase do trampolim (2ª fase no original Arcade).
- Charlie faz uma ponta como bônus no jogo Mikie, também da Konami.

Um comentário: